ॐ Tipos de respiração no Yoga

17 08 2012

Para uma respiração ser plena ou completa, devemos observar a movimentação de três grandes grupos musculares: abdominais, intercostais e peitorais. Chamamos esses grupos musculares, respectivamente, de respiração baixa, média e alta. Leia o resto deste post »





ॐ Asanas: tranformação de corpo, mente e emoção.

17 07 2012

Um dos raros momentos onde realmente conectamos
o corpo, a mente e as emoções.
Nas posturas silenciamos a fala para ouvir o que o
anahata chakra fala sobre o próprio Ser.
Nas posturas fechamos os olhos para poder despertar
a visão intuitiva do ajna chakra.
Nas posturas controlamos a respiração para controlar
os processos vitais e energéticos.
Com a prática das posturas vivemos o instante, com a
prática da meditação somos o eterno instante.
Com a prática da verdade livramos a mente das
perturbações emotivas e com a prática do Dharma se vive
a arte da vida.

Daniel Nodari Mahadev

https://yogashamkara.wordpress.com/

ENGLISH VERSION

ASANA: transformation of body, mind and emotions

One of the rare moments where we really connect
the body, mind and emotions.
At Postures we silence  the speech to listen what anahata chakra says about the Self.
At postures we close our eyes to awake the insight of the ajna chakra.
At Postures doing a breath control we also control the vital and energetic processes.
With the practice of postures we live the moment, with the
practice of meditation we overcoming the eternal moment.
With the practice of truth we free the mind from the
emotional disturbances and the with the practice of Dharma we live
the art of life.

Daniel Nodari Mahadev

https://yogashamkara.wordpress.com/ Práticas de Yoga em Cachoeirinha – RS





ॐ Porque ter o próprio YogaMat (tapetinho de Yoga) ?

16 07 2012

O YogaMat já se tornou um símbolo do praticante de Yoga, hoje em dia quando vemos alguém caminhando na rua com um YogaMat nas costas automaticamente já pensamos:  “lá vai mais um praticamente de Yoga”. Por isso que o YogaMat é uma forma de altar para a própria prática.

Ao longo da prática de Yoga transpiramos e liberamos esses resíduos no tapete que usamos. Assim fica óbvio perceber que ter o próprio tapete (YogaMat) é uma questão de higiene pessoal.

Muitas escolas ou estúdios de Yoga disponibilizam YogaMats para os praticantes, mas por mais que estes tapetinhos sejam lavados e higienizados com freqüência, sempre poderá restar algum resíduo ou odores de outro praticante. Principalmente quando os estúdios de Yoga possuem aulas com horários consecutivos, o Yogmat fornecido pelo estúdio acabou de ser usado durante aproximadamente uma hora e logo em seguida será utilizado por outra pessoa, ou por você mesmo !!

As vantagens da prática sobre o Yogamat em relação a tapetes, panos ou carpetes são: higiene, aderência nas posturas. confortos para apoios dos joelhos e um maior isolamentos térmico quando se está deitado em postura de relaxamento. Na questão de higiene, ele não acumula poeira, ácaros e outros fungos e é facilmente lavagem.

A cada prática estamos ampliando as nossas energias no mesmo local de prática, que é o próprio tapetinho, isso amplia a inspiração para o desenvolvimento da própria prática pessoal em casa, tanto das posturas (asanas) quanto de meditação.

Om Shanti e boa práticas: Daniel Nodari Mahadev





ॐ Surya manaskara – Saudação ao Sol

13 04 2012




ॐ Iyengar Yoga 1938 Film SILENT

5 03 2012




Dhanurāsana धनुरासन: postura do arco (bow pose)

22 09 2011

Dhanur significa arco, portanto dhanurásana é a postura do arco. É um ásana de retroflexão da coluna vertebral, deitado em decúbito ventral.

Execução

É uma postura feita deitado de frente para chão, flexione pernas e as mãos seguram os respectivos tornozelos. Com uma inspiração eleve cabeça, projete pescoço e ombros para trás e eleve a parte alta do peito. Joelhos e coxas também devem ficar bem elevados. O corpo fica sustentado pela região abdominal. Para desfazer o dhanurásana, exale descendo pernas, tronco, braços e cabeça.

Focalize a atenção nas regiões abdominal, pélvica e sacra durante o ásana.

Para compensar o dhanurása, você pode utilizar os seguintes ásanas: udara shavásana (deite-se em decúbito ventral ou frontal com pernas afastadas para relaxar a região lombar e deixe os calcanhares se soltarem para os lados de fora do corpo. Braços podem ficar soltos ao lado do corpo ou flexionados para frente com a cabeça sobre o dorso das mãos. Outra boa opção é fazer o balasana logo após este shavasana. Upavistha konasana e paschimottanasana também compensam a região lombar.

Alinhamento corporal

-faça um movimento bem coordenado tanto para iniciar quanto para finalizar o ásana.

-busque sempre expandir bem a caixa torácica a cada inspiração, abra bem o peito e sempre que executar um novo púraka (inspiração) tente elevar-se um pouco mais;

-assim como em qualquer outra flexão para trás da coluna nunca sobrecarregue a região lombar. Contraia, um pouco, glúteos e coxas para preservar a região lombar;

-para finalizar, observe um movimento bem coordenado no retorno; finalize coordenando a descida de coxas e queixo, tocando-os no solo simultaneamente;

-compense as retroflexões com ásanas de flexão frontal, conforme dito anteriormente;

-ao longo da permanência respire profundamente.

Kriyá

Bhrumádhya drishti, exercício que consiste em fazer uma fixação ocular na região entre os intercílios (trikuti), dirigindo assim o olhar para o ájña chakra. Este drishti confere muito mais concentração para a execução do dhanurásana, além de tonificar nervos e músculos óticos.

Anna Maya Kosha (corpo físico)

Atua de forma muito intensa sobre as glândulas endócrinas: tireóides, timo, pâncreas, supra-renais e especialmente nas glândulas sexuais. Além se ser um excelente ásana para aliviar tensões musculares das regiões cervical, torácica, lombar.

Nas mulheres são percebidas melhoras significativas em transtornos e irregularidades menstruais. Restaura e preserva a elasticidade da coluna vertebral estimulando assim todas os seus centros nervosos. Auxilia na redução da constipação,

Kama Maya Kosha (corpo emocional)

Força de caráter, definição de personalidade, auto estima e desbloqueio da área emocional são frutos conquistados com o dhanurásana.

Prána Maya Kosha (corpo energético)

Dhanurásana exerce uma ampla movimentação da coluna para trás, isso estimula a região frontal dos centros energéticos, e por conseqüência, estimulam as suas energias latentes. Plexo solar é altamente estimulado.

Este ásana estimula a região pélvica, por sua vez ativa o chakra básico, que é a sede da Shaktí Kundaliní. O corpo fica praticamente suspenso pela região do plexo solar (manipura chakra) e a alongamento da região peitoral ativa o chakra cardíaco (anaahata chakra), promovendo um equilíbrio na área emocional.

Os quatro centros energéticos ativados no dhanurásana são:

-Mulaadhaara chakra

-Svaadhisthána chakra

-Manipura chakra

-Anaahata chakra

Váyu

O forte estímulo no manipura chakra favorece a distribuição das energias prânicas através de dois ares vitais:

-Samána váyu

-Vyána váyu

Om namah shivaya – Daniel Nodari Mahadev – Om shanti





Ushtrásana उष्ट्रसन (postura do camelo)

13 08 2011

A idéia deste texto é explorar alguns aspectos do ushtrásana, um ásana de flexão para trás da coluna vertebral. Com bastante objetividade, serão abordadas algumas dicas para aprimorar a prática do ushtrásana. Este texto não invalida a presença de um professor de Yoga, pelo contrário, é sempre indispensável alguém que dê orientação no Yoga. Se você tiver algum problema de coluna ou pressão alta, consulte um médico antes de iniciar a prática de ásanas. Prevenir é sempre o melhor remédio.

 

Execução

 

Inicie sentado sobre os calcanhares e depois ajoelhe-se sobre o solo. Faça um pequeno afastamento de até um palmo de distância entre joelhos e os pés. Mantenha o dorso dos pés no solo. Coloque as mãos nos quadris e na medida em que fores exalando vá colocando a palma da mão direita sobre a sola do pé direito e a palma da mão esquerda sobre a sola do pé esquerdo. Caso as mãos não cheguem até a sola dos pés, você pode colocar inicialmente as mãos sobre os calcanhares.

Se mesmo assim esta variação for muito intensa, opte por uma das duas próximas variações que o ajudará na execução da variação mais completa do ushtrásana:

Primeira variação: coloque os artelhos dos pés no solo com as mãos nos calcanhares, isso diminui a intensidade da flexão para trás da coluna, principalmente na região lombar.

Segunda variação: permaneça ajoelhado e coloque as mãos na região posterior das coxas, flexione a cabeça para trás e projete os ombros para trás e para baixo alongando bastante a musculatura da parte alta do peito. Mantenha as coxas na verticalidade em todas as variações do ushtrásana.

Para desfazer o ushtrásana, inspire elevando a cabeça, retire a mão esquerda e depois a direita da sola do pé, ajoelhe-se sobre o solo e depois sente-se sobre os calcanhares. Após o retorno completo compense a flexão para trás da coluna com um ásana de flexão frontal (balásana) ou com o shavásana (deitado com pés e braços afastados do corpo).

O Ushtrásana pode ser precedido ou sucedido por ásanas de flexão frontal da coluna, tais como: paschimottanásana (sentado com perna estendidas e flexionando o tronco sobre as pernas), upavishta konásana (sentado com as pernas bem afastadas e estendidas e com o tronco flexionado frontalmente), padahastásana (em pé, com o tronco flexionado para baixo e com as pernas bem estendidas e unidas) e balásana (sentado sobre os calcanhares, com testa no solo e braços soltos no solo ao lado das pernas). Esses são alguns ásanas para compensar o ushtrásana.

 

Alinhamento corporal

 

-observe uma linha vertical dos joelhos até os quadris, mantendo coxas na verticalidade e não inclinando os quadris para trás.

-projeto o osso externo bem para frente, expandindo bem o peito e caixa torácica.

-distribua bem o peso das mãos nos calcanhares para proteger a região lombar.

-mantenha a cabeça voltada para trás com o pescoço alongando, se tiver alguma sensibilidade na cervical não flexione excessivamente o pescoço para trás.

-lembre-se de nunca ir ao ponto mais avançado nos instantes iniciais de qualquer ásana, deixe os músculos e articulações avançarem de forma bem natural a cada ciclo respiratório.

-sempre sinta muito conforto na execução de qualquer ásana.

 

Benefícios

 

Ushtrásana tonifica os nervos da coluna, confere elasticidade à coluna vertebral, alonga a musculatura peitoral, amplia a capacidade respiratória e pulmonar e estimula sistema endócrino, digestivo, reprodutivo e circulatório. Alivia a constipação e amplia a circulação sangüínea nos órgãos abdominais, principalmente em rins, pâncreas, fígado e bexiga. Estimula o bom funcionamento das glândulas tireóide e paratireóide. Má postura, cifose, ombros caídos e dores lombares são beneficiados consideravelmente com o ushtrásana. Para praticantes com hernia de disco, lesões cronicas em joelhos e ombros, cardíacos, hipertensos e hipertireóideos não são aconselhados longas permanências, ou dependendo do caso evite e a prática dessa postura. Aumenta a capacidade de concentração, auto-estima, auto-confiança e a sensação de bem estar.

 

Boa prática e até a próxima – Om Namah Shivaya – Daniel Nodari (Mahádeva)